Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Des i - depois, em seguida

CULTURA | MUNDO | ENTREVISTAS | OPINIÃO

Des i - depois, em seguida

CULTURA | MUNDO | ENTREVISTAS | OPINIÃO

Quando for rico compro um museu

Quando for rico compro um museu. 

Galeria de Arte - Hamburger Kunsthalle - acolhe arte desde a Idade Média até à moderna e contemporânea. O museu é composto por três edifícios, no total de 13.000 metros quadrados. O foco principal é o século XIX. A biblioteca  contém mais de 175 mil volumes. 

https://www.hamburger-kunsthalle.de/

 

IMG_5177.jpg

 ©Amaro Figueiredo | Canon EOS 1200D

Ferdinand Hodler (1853-1918), “Blick ins Unendliche III” (c. 1905)

 

IMG_5178.jpg

  ©Amaro Figueiredo | Canon EOS 1200D

 

IMG_5181.jpg

   ©Amaro Figueiredo | Canon EOS 1200D
“Thurnersee mit Stockhornkette” (c. 1910) (direita)

 

dali.jpg

©Amaro Figueiredo | Canon EOS 1200D

Salvador Dali | The birth of the liquid fears (1932). 

 

IMG_5161.jpg

©Amaro Figueiredo | Canon EOS 1200D

IMG_5162.jpg

 ©Amaro Figueiredo | Canon EOS 1200D

 

DSC_3369.JPG

  ©Amaro Figueiredo | Canon EOS 1200D

DSC_3278.JPG

   ©Amaro Figueiredo | Canon EOS 1200D

 

DSC_3286.JPG

  ©Amaro Figueiredo | Sony E5603

DSC_3270.JPG

  ©Amaro Figueiredo | Canon EOS 1200D

 

DSC_3313.JPG

  ©Amaro Figueiredo | Sony E5603

”A man paints with his brains and not with his hands”, Michelangelo

 

DSC_3335.JPG

 ©Amaro Figueiredo | Sony E5603

Karl Hofer 'Freundinnen' (Friends), 1924.

 

 

DSC_3279.JPG

   ©Amaro Figueiredo | Sony E5603

 "Wanderer above the Sea of Fog" (1818), Caspar David Friedrich 

DSC_3360.JPG

   ©Amaro Figueiredo | Sony E5603  

Ernst Barlach , "Der Einsame/The Lonely One“ (1911) 

 

DSC_3478.JPG

    ©Amaro Figueiredo | Sony E5603

DSC_3470.JPG

     ©Amaro Figueiredo | Sony E5603

DSC_3343.JPG

 ©Amaro Figueiredo | Sony E5603

 

 

Sítio, de Catarina Santana e André Louro

12019842_1635864830001692_841570230302724508_n (2)


A Companhia da Chanca (Chanca, concelho de Penelatrouxe até ao Centro Cultural de Tábua o "Sítio", uma peça de máscaras e de emoções, com uma mistura de sons criados no momento ou apoiados por um belíssimo texto sonoro. 50 minutos de muitas vidas representadas por duas vidas. Do nascimento à velhice ou da velhice ao nascimento, do viver ao isolamento, um poema de formas, de sentidos e no fim, de amor. 


Uma magnífica interpretação de Catarina Santana e de André Louro, com pormenores de espaço cénico de fazer acreditar que os sonhos são possíveis. 

 

Bons Palcos.

 

11796319_1621789491409226_2994248412298867915_n.jp

 ©Companhia da Chanca

____

Sítio é um espetáculo de teatro físico, sem texto, que conta a história de um casal de idosos que vive numa aldeia no interior de Portugal e recebe um postal anunciando o nascimento do seu neto. Os dois decidem juntar numa encomenda algumas prendas para enviar para o neto, que está no estrangeiro, e partem numa longa caminhada. Com o embrulho debaixo do braço e uma doce fúria de viver, o casal vai viver uma série de pequenas e ternas aventuras, partilhar memórias e até apagar um incêndio. No final da epopeia, conseguem chegar… à estação de correios da vila mais próxima!
Sítio apresenta-se como um espelho da vida de alguns no interior desertificado, envelhecido e isolado. É uma forma de poema-espetáculo que convida idosos, crianças, jovens e população ativa a refletir sobre o problema da desertificação humana.



Ficha Técnica
Companhia da Chanca e Razões Poéticas

André Louro | Criação e interpretação
Catarina Santana | Criação e interpretação
António Jorge | Máscaras e espaço cénico
Sílvia Brito e Caroline Bergeron | Apoio artístico
Mafalda Oliveira | Desenho de luz e direção técnica
Maria Ribeiro | Figurinos
Victor Cid | Fotografia
Pedro Homem | Vídeo
Classificação Etária
M/6
Duração
50 minutos

 

Curiosidade: 

A estreia da peça foi no jardim da casa do André (Chanca), espalharam alguns cartazes na aldeia com 40 habitantes e apareceram o dobro. 

PROOF - Os 3 Artistas | Do séc. XVIII ao XXI

17 FEVEREIRO - 27 DE MAIO DE 2018 
Museu de Arte Contemporânea - Deichtorhallen

 

Francisco Goya (1746-1828) foi pintor e gravador espanhol, em 1792 "ficou paralítico, parcialmente cego e totalmente surdo"; Sergei Eisenstein (1898-1948) "foi um dos mais importantes cineastas soviéticos"  e Robert Longo (1953) é pintor e escultor de trabalhos de grande dimensão. PROOF oferece informações sobre as posições particulares das quais os artistas reflectem sobre as complexidades sociais, culturais e políticas.


IMG_4959.JPG

©Amaro Figueiredo | Canon EOS 1200D

 

"A Prova" é uma turbulência da passagem dos séculos, com efeitos sísmicos da revolução e movimentos de direitos civis. 

Goya escolhe a gravura para criticar o meio social e a guerra. Eisenstein passa para a tela a 'sua' história. Quem nunca ouviu falar ou viu o 'Ivan, O terrível'? Roberto explora o terrorismo, movimentos de refugiados, guerras modernas e símbolos de poder. 

 

IMG_4962.JPG

©Amaro Figueiredo | Canon EOS 1200D

IMG_4964.JPG

©Amaro Figueiredo | Canon EOS 1200D

IMG_4971.JPG

©Amaro Figueiredo | Canon EOS 1200D

 

 

IMG_4983.JPG

©Amaro Figueiredo | Canon EOS 1200D

IMG_4997.JPG

©Amaro Figueiredo | Canon EOS 1200D

IMG_5001.JPG

 ©Amaro Figueiredo | Canon EOS 1200D

IMG_5009.JPG

©Amaro Figueiredo | Canon EOS 1200D

IMG_5018.JPG

©Amaro Figueiredo | Canon EOS 1200D

IMG_4977.JPG

 ©Amaro Figueiredo | Canon EOS 1200D

 

IMG_4991.JPG

 ©Amaro Figueiredo | Canon EOS 1200D

IMG_4953.JPG

 ©Amaro Figueiredo | Canon EOS 1200D

 

https://wwwwww.deichtorhallen.de/