Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Depois em Seguida

CULTURA | MUNDO | ENTREVISTAS | OPINIÃO

Depois em Seguida

CULTURA | MUNDO | ENTREVISTAS | OPINIÃO

PAS DE DEUX, de Alexandre Sampaio / TEN

60354201_285336712345519_1006486686298800128_n.jpg©TEN 

Numa relação amorosa, há dois momentos inesquecíveis. O princípio, por causa da descoberta, da incerteza, da adrenalina. E o fim, porque é muitas vezes violento e algumas vezes um alívio.
Pedro Mexia 

 

O Alexandre Sampaio fugiu à penumbra e virou o mundo do avesso com desbordante entusiasmo ao adaptar a obra “Nada de Dois” de Pedro Mexia.

 

O amor,  em “Pas de Deux” - primeira obra do colectivo -, ultrapassa as distâncias no espaço e no tempo, sob a forma de corpos traídos, ávidos ouvintes, humor, resquícios de esperança, estranhas metamorfoses, a tão intrépida e tão gloriosa orientação sexual escondida lá nos recantos agrestes de casas com mil janelas observadas.

 

Uma autobiografia social – de pertinácia, inglória, de esforço – de saber quem somos e o que amamos, ainda que seja por etapas e aos empurrões. Este é o nosso mundo.

 

 

Joana: Você não sabe quem é?

Vasco: Sei, na medida do possível.

Joana: Na medida do possível?

Vasco: Foi um preciosismo. Eu queria dizer que também não sei quem você é.

60274320_283168652562325_4088311341075398656_o.jpg

©TEN

Em  personagem, 

 

Gisela Firmino representa os sonhos, a alegria estrepitosa e esfuziante, numa personagem que evoluciona com toda a razão.

 

João Emílio Cardoso representa grandes vôos, o preconceito, as horas de inverno, os corpos nus e tão vestidos de tudo.

 

José Paulo Tavares representa o amor, quer na teórica quer na prática. A traição do Eu e do Outro.

 

Luís Quinas Guerra representa o ir com vontade de ficar. Prometi-lhes que sim, para além de muitos sins não prometidos.

 

Rosa Monteiro representa corações franqueados, a não realização dos seus anseios e talvez o passado deprimido.

 

 Vitor Martins representa o zig-zagues da vida ou da esperança, o saber magoa e o querer mata até sarar.  

 

Pas de Deux demonstra uma dedicação fiel -  de todos -  ao trabalho de palco.

 

Aplausos. 

 

JOÃO: A última vez? 

VASCO: As pessoas dão demasiada importância à primeira vez. E a última vez? Ninguém pergunta: «Como foi a tua última vez? »

60015376_282507475961776_3567281402334412800_n.jpg©TEN

Criação do Teatro Experimental do Nordeste

Co-produzida pelo Teatro de Vila Real

A partir da obra "Nada de Dois", de Pedro Mexia

Direcção artística de Alexandre Sampaio

Interpretação de Gisela Firmino, João Emílio Cardoso, Jsé Paulo Tavares, Luís Quinas Guerra, Rosa Monteiro e Vitor Martins 

Instalação vídeo e Fotografia de Ricardo Raminhos 

 Grafismo de Ana Moreno e Gil Machado  

 

51704601_239369486942242_7514341443821895680_n.jpg

 

1 comentário

Comentar post