Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Des i - depois, em seguida

CULTURA | MUNDO | ENTREVISTAS | OPINIÃO

Des i - depois, em seguida

CULTURA | MUNDO | ENTREVISTAS | OPINIÃO

Sítio, de Catarina Santana e André Louro

12019842_1635864830001692_841570230302724508_n (2)


A Companhia da Chanca (Chanca, concelho de Penelatrouxe até ao Centro Cultural de Tábua o "Sítio", uma peça de máscaras e de emoções, com uma mistura de sons criados no momento ou apoiados por um belíssimo texto sonoro. 50 minutos de muitas vidas representadas por duas vidas. Do nascimento à velhice ou da velhice ao nascimento, do viver ao isolamento, um poema de formas, de sentidos e no fim, de amor. 


Uma magnífica interpretação de Catarina Santana e de André Louro, com pormenores de espaço cénico de fazer acreditar que os sonhos são possíveis. 

 

Bons Palcos.

 

11796319_1621789491409226_2994248412298867915_n.jp

 ©Companhia da Chanca

____

Sítio é um espetáculo de teatro físico, sem texto, que conta a história de um casal de idosos que vive numa aldeia no interior de Portugal e recebe um postal anunciando o nascimento do seu neto. Os dois decidem juntar numa encomenda algumas prendas para enviar para o neto, que está no estrangeiro, e partem numa longa caminhada. Com o embrulho debaixo do braço e uma doce fúria de viver, o casal vai viver uma série de pequenas e ternas aventuras, partilhar memórias e até apagar um incêndio. No final da epopeia, conseguem chegar… à estação de correios da vila mais próxima!
Sítio apresenta-se como um espelho da vida de alguns no interior desertificado, envelhecido e isolado. É uma forma de poema-espetáculo que convida idosos, crianças, jovens e população ativa a refletir sobre o problema da desertificação humana.



Ficha Técnica
Companhia da Chanca e Razões Poéticas

André Louro | Criação e interpretação
Catarina Santana | Criação e interpretação
António Jorge | Máscaras e espaço cénico
Sílvia Brito e Caroline Bergeron | Apoio artístico
Mafalda Oliveira | Desenho de luz e direção técnica
Maria Ribeiro | Figurinos
Victor Cid | Fotografia
Pedro Homem | Vídeo
Classificação Etária
M/6
Duração
50 minutos

 

Curiosidade: 

A estreia da peça foi no jardim da casa do André (Chanca), espalharam alguns cartazes na aldeia com 40 habitantes e apareceram o dobro.